icon-telefone
MARCAÇÃO DE CONSULTAS

(85) 3063.3381(85) 9 8851.6148

Saiba mais sobre a Contusão hemorrágica

imagem: shutterstock imagem: shutterstock

Contusão hemorrágica: o que é? A contusão hemorrágica pode ser uma lesão grave no cérebro, ocasionada por acidentes ou pancadas sofridas diretamente no crânio, podendo evoluir para hemorragias (acometimento mais sério). Essa evolução pode ocorrer rapidamente, no espaço de horas, ou aparecer apenas após alguns dias do trauma craniano sofrido. 

Sintomas

A contusão hemorrágica apresenta como sintomas iniciais a perda de consciência, confusão mental, náuseas com grande frequência, tonturas, dores de cabeça e fraqueza frequentes. Se ocorrer a hemorragia, a pressão intracraniana pode aumentar perigosamente, provocando ainda o inchaço do cérebro. Se não tratado rapidamente, alguns tipos de contusões ou hemorragias podem ocasionar a morte do paciente. Para o diagnóstico é fundamental a realização de tomografia de crânio em regime de urgência.

Indicações

O tratamento inicial da pequena contusão hemorrágica pode ser feito com a utilização de medicamentos analgésicos, às vezes, com anti-convulsivante. O neurocirurgião Paulo Wagner Linhares Lima Filho alerta que o tratamento deve ser realizado o mais rápido possível para alguns tipos de contusões a depender do tamanho e localização, para preservar a vida do paciente.

Quando é detectada a existência de alguns tipos perigosos de contusão ou hemorragia cerebral pela tomografia de crânio, o especialista recomenda a realização de uma cirurgia para interromper esse processo.

Cirurgia/procedimento

Para conter o avanço da contusão hemorrágica é realizada uma cirurgia que drena o excesso de sangue/coágulo do cérebro e permite que o órgão desinche, conforme explica o neurocirurgião Dr. Paulo Linhares Lima Filho.

Em alguns casos, apesar da realização do procedimento, quando as lesões causadas pelas contusões hemorrágicas são graves, os pacientes podem apresentar sequelas, como dificuldade de aprendizado, fala lenta ou ainda paralisia parcial. Neste caso, a recomendação é de que seja feito acompanhamento com terapeuta especializados no tratamentos destas sequelas, que podem ser passageiras ou permanentes.

Médico

Com especialização em neurocirurgia pela Universidade de Campinas (UNICAMP), o Dr. Paulo Wagner Linhares Filho vem se dedicando ao estudo das patologias raqui-medulares/coluna vertebral, dos nervos periféricos, tumores de crânio e de medula. O especialista possui ainda amplo conhecimento das técnicas para o tratamento de dores de difícil controle. Caso deseje conferir o Lattes completo do especialista, clique aqui: http://paulowagner.com.br/perfil.

Cirurgias relacionadas

Como parte do tratamento das contusões hemorrágicas e de outras enfermidades que acometem o cérebro e o sistema nervoso, e também de sua própria especialização e estudos de pós-graduação, Dr. Paulo Wagner Linhares Lima Filho realiza cirurgias para o tratamento dos traumatismo cranianos em geral: como edema cerebral, afundamento craniano, hemorragias, contusões cerebrais, dentre outros. Estas operações têm como um de seus objetivos diminuir a pressão intracraniana, facilitando que o paciente retorne sua vida praticamente ao normal. Para tornar a recuperação no período pós-operatório mais fácil, o especialista pode optar ainda pela realização de procedimentos pouco invasivos. Para conferir as cirurgias realizadas e as enfermidades atendidas pelo médico, confira este link: http://paulowagner.com.br/servicos.

Contato

Especializado no tratamento de enfermidades que afetem a coluna vertebral, o crânio ou os nervos periféricos, o neurocirurgião Dr. Paulo Wagner Linhares Lima Filho utiliza técnicas para o tratamento cirúrgico de traumatismos cranianos. Tem alguma dúvida sobre um possível diagnóstico ou gostaria de mais informações sobre as contusões hemorrágicas? Clique neste link (paulowagner.com.br/pre-agendamento) e agende sua consulta com o especialista. O neurocirurgião fará uma avaliação completa de seu caso, realizando exame físico, consultando seu histórico clínico e, caso necessário, solicitará exames complementares para tornar o diagnóstico ainda mais preciso.

Compartilhe: