icon-telefone
MARCAÇÃO DE CONSULTAS

(85) 3063.3381(85) 9 8851.6148

Saiba mais sobre a Hiperostose Esquelética Idiopática Difusa

imagem: shutterstock imagem: shutterstock

Hiperostose esquelética idiopática difusa: o que é? A hiperostose esquelética idiopática difusa, também conhecida como Doença de Forestier, é uma doença esquelética de causa desconhecida e se caracteriza pela calcificação dos tendões, ligamentos e cápsulas articulares.

 

A enfermidade atinge com mais frequência homens, acima dos 40 anos, e tem evolução lenta e progressiva, além de não apresentar quaisquer sintomas em seus estágios iniciais, conforme explica o neurocirurgião Dr. Paulo Wagner Linhares Lima Filho.

Sintomas

À medida que evolui, a hiperostose esquelética idiopática difusa apresenta os seguintes sintomas: dor cervical, torácica e lombar, dor nos membros superiores, joelhos, tornozelos e calcanhares.  Os pacientes diagnosticados com essa enfermidade podem apresentar, ainda, rigidez e muita dor quando submetidos à sobrecarga e baixas temperaturas. Além disso, a locomoção pode ficar prejudicada, assim como sua capacidade de realizar tarefas simples.

Indicações

O tratamento da hiperostose esquelética idiopática difusa pode ser realizado com terapias não invasivas. Um desses procedimentos envolve a utilização de medicamentos analgésicos e antiinflamatórios, além de relaxantes musculares e, em alguns casos, medicamentos opióides. Além destes medicamentos, pode ser receitado um período de repouso, para o alívio das dores, e a realização de fisioterapia, como a prática de exercícios de RPG, corrigindo a postura do paciente.  Pode ser recomendada também a utilização da acupuntura para aliviar as dores típicas da doença.

Cirurgia/procedimento

Quando os tratamentos menos invasivos não trazem melhora e existe compressão sobre a medula espinhal, pode ser necessária a realização de uma cirurgia, explica o neurocirurgião Dr. Paulo Wagner Linhares Lima Filho. O procedimento pode ser menos invasivo e realizado via endoscópio, para diminuir o desconforto.

Médico

Com especialização em neurocirurgia pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), o Dr. Paulo Wagner Linhares Filho vem se dedicando ao estudo das patologias raqui-medulares/coluna vertebral, dos nervos periféricos, tumores de crânio e de medula. O especialista possui ainda amplo conhecimento das técnicas para o tratamento de dores de difícil controle. Caso deseje conferir o currículo completo do especialista, clique aqui: http://paulowagner.com.br/perfil.

Cirurgias relacionadas

Como parte do tratamento da hiperostose esquelética idiopática difusa e também de sua própria especialização e estudos de pós-graduação, Dr. Paulo Wagner Linhares Lima Filho realiza cirurgias da coluna vertebral. Estas operações têm como objetivo diminuir os sintomas causados pela doença, permitindo que o paciente tenha uma vida próxima ao normal. Para tornar a recuperação no período pós-operatório mais fácil, o especialista pode optar ainda pela realização de procedimentos pouco invasivos. Para conferir as cirurgias realizadas e as enfermidades atendidas pelo médico, confira este link: http://paulowagner.com.br/servicos.

Contato (Call To Action)

Especializado no tratamento de enfermidades que afetem a coluna vertebral, o crânio ou os nervos periféricos, o neurocirurgião Dr. Paulo Wagner Linhares Lima Filho utiliza técnicas modernas, seguras e precisas. Tem alguma dúvida sobre um possível diagnóstico ou gostaria de mais informações sobre a hiperostose esquelética idiopática difusa? Clique neste link (paulowagner.com.br/pre-agendamento) e agende sua consulta com o especialista. O neurocirurgião fará uma avaliação completa de seu caso, realizando exames físicos, consultando seu histórico clínico e, caso necessário, solicitará exames complementares para tornar o diagnóstico ainda mais preciso. 

Compartilhe: