icon-telefone
MARCAÇÃO DE CONSULTAS

(85) 3063.3381(85) 9 8851.6148

Saiba mais sobre as Malformações Arteriovenosas

imagem: shutterstock imagem: shutterstock

Malformações arteriovenosas: o que é? As Malformações Arteriovenosas  (MAV) são conexões anormais entre as artérias e as veias do corpo, modificando o fluxo sanguíneo entre elas.

Essa enfermidade pode ser congênita, e aparecer em qualquer parte do organismo, mas é mais comum que se manifeste na circulação cerebral. Algumas malformações arteriovenosas são assintomáticas (não apresentam sintomas), porém em alguns casos podem ocorrer sangramentos ou complicações causadas pela evolução da doença, como o surgimento de aneurismas pelo hiperfluxo sanguíneo.

Sintomas

Em suas variações menos graves, os sintomas das malformações arteriovenosas são crises convulsivas, dores de cabeça (algumas vezes como se a cabeça estivesse pulsando), dormência em um lado do corpo ou fraqueza progressiva. Já em suas variedades mais graves, as malformações arteriovenosas apresentam os seguintes sintomas: dores de cabeça súbita e severa, fraqueza ou dormência de um lado do corpo, perda de visão, dificuldade para falar, incapacidade para os compreender os demais e tontura súbita (com perda de equilíbrio).

Indicação

O tratamento das malformações arteriovenosas, quando não apresenta hemorragia, é feito a depender de seu tamanho, localização e drenagem de suas veias (superficial ou profunda), conforme explica o neurocirurgião Dr. Paulo Wagner Linhares Lima Filho.

Cirurgia/procedimento

Quando é detectado o risco de hemorragias ou outras evoluções que coloquem a vida do paciente em risco, o tratamento pode envolver a realização de uma embolização endovascular ou radiocirurgia. Segundo o neurocirurgião Dr. Paulo Wagner Linhares Lima Filho, o procedimento embolização endovascular é minimamente invasivo, e envolve a inserção de um cateter até a artéria que está nutrindo a malformação. Por ele são injetados medicamentos ou polímeros para impedir a circulação de sangue até ela, diminuindo os sintomas causados pela enfermidade ou, ainda, levando ao desaparecimento da enfermidade. Para os casos passíveis de tratamento cirúrgico, é realizado uma craniotomia, onde será retirado toda MAV.

Médico

Com especialização em neurocirurgia pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), o Dr. Paulo Wagner Linhares Filho vem se dedicando ao estudo das patologias raqui-medulares/coluna vertebral, dos nervos periféricos, tumores de crânio e de medula. O especialista possui ainda amplo conhecimento das técnicas para o tratamento de dores de difícil controle. Caso deseje conferir o currículo completo do especialista, clique aqui: http://paulowagner.com.br/perfil.

Cirurgias relacionadas

Como parte do tratamento das malformações arteriovenosas, e também de sua própria especialização e estudos de pós-graduação, Dr. Paulo Wagner Linhares Lima Filho realiza cirurgias de crânio. Estas operações têm como objetivo diminuir os sintomas causados pela doença, permitindo que o paciente tenha uma vida praticamente normal. Para tornar a recuperação no período pós-operatório mais segura e com melhores chances de êxito, o especialista conta com uma equipe multiprofissional composta por neurointensivista, neurologista, fisioterapeuta, terapeuta ocupacional, enfermeiro, neuroanestesista, psicólogo e clínico geral. Para conferir as cirurgias realizadas e as enfermidades atendidas pelo médico, confira este link: http://paulowagner.com.br/servicos.

Contato (Call To Action)

Especializado no tratamento de enfermidades que afetem a coluna vertebral, o crânio ou os nervos periféricos, o neurocirurgião Dr. Paulo Wagner Linhares Lima Filho utiliza técnicas seguras, precisas e modernas. Tem alguma dúvida sobre um possível diagnóstico ou gostaria de mais informações sobre as malformações arteriovenosas? Clique neste link (paulowagner.com.br/pre-agendamento) e agende sua consulta com o especialista. O neurocirurgião fará uma avaliação completa de seu caso, realizando exames físicos, consultando seu histórico clínico e, caso necessário, solicitará exames complementares para tornar o diagnóstico ainda mais preciso.

Compartilhe: