icon-telefone
MARCAÇÃO DE CONSULTAS

(85) 3063.3381(85) 9 8851.6148

Saiba mais sobre o Hematoma subdural agudo, crônico e espontâneo

imagem: shutterstock imagem: shutterstock

Hematoma subdural agudo, crônico e espontâneo: o que é? O hematoma subdural é caracterizado pelo acúmulo de sangue entre o encéfalo e a cabeça, e costuma ser causado por graves ferimentos na cabeça.

O hematoma subdural pode ocorrer de três formas: hematoma subdural agudo (causado por uma forte lesão na cabeça), o hematoma subdural crônico (provocado por um trauma menor na cabeça) e hematoma subdural espontâneo (provocado sem que ocorra nenhum tipo de trauma).

Sintomas

Os sintomas apresentados por pacientes diagnosticados com hematoma subdural agudo, crônico e espontâneo variam de acordo com a intensidade do acúmulo de sangue, idade e estado de saúde. Porém, o neurocirurgião Dr. Paulo Wagner Linhares Lima Filho destaca os seguintes sintomas que podem ser apresentados por quase todos aqueles que possuem esse tipo de hemorragia: dores de cabeça, mudanças de comportamento, confusão, crise convulsiva, tonturas, náuseas, vômito, sonolência excessiva, fraqueza, problemas na fala e de visão e apatia.

Indicações

Por se tratar de uma doença grave e que, se não tratada, pode levar à morte, o neurocirurgião Dr. Paulo Wagner Linhares Lima Filho recomenda que os pacientes diagnosticados com hematoma subdural agudo, crônico e espontâneo sejam observados atentamente, para verificação da evolução de seu quadro. Caso a hemorragia piore, a recomendação do neurocirurgião é de que seja realizada uma cirurgia para drenagem do hematoma.

Cirurgia/procedimento

A cirurgia para drenagem do hematoma subdural crônico pode ser realizada com a drenagem através da inserção de um pequeno cateter, conforme explica o neurocirurgião Dr. Paulo Wagner Linhares Lima Filho. Esse procedimento é conhecido como trepanação. Já os hematomas subdural agudo e crônico de maior extensão podem ser retirados através de uma craniotomia. Aqui, o neurocirurgião abre o crânio, retira o coágulo através de sucção ou irrigação e localiza os locais onde há o sangramento, controlando a hemorragia.

Médico

Com especialização em neurocirurgia pela Universidade de Campinas (UNICAMP), o Dr. Paulo Wagner Linhares Filho vem se dedicando ao estudo das patologias raqui-medulares/coluna vertebral, dos nervos periféricos, tumores de crânio e de medula. O especialista possui ainda amplo conhecimento das técnicas para o tratamento de dores de difícil controle. Caso deseje conferir o currículo completo do especialista, clique aqui: http://paulowagner.com.br/perfil.

Cirurgias relacionadas

Como parte do tratamento de hematomas subdural agudo, crônico e espontâneo, e também de sua própria especialização e estudos de pós-graduação, Dr. Paulo Wagner Linhares Lima Filho realiza cirurgias de crânio. Estas operações têm como objetivo retirar os coágulos, restabelecendo o encéfalo aos padrões da normalidade, tirando o doente do estado de risco para que ele retorno à sua vida habitual cotidiana ou com o mínimo de sequela possível. Para tornar a recuperação no período pós-operatório mais segura e com melhores chances de êxito, o especialista conta com uma equipe multiprofissional composta por neurointensivista, neurologista, fisioterapeuta, terapeuta ocupacional, enfermeiro, neuroanestesista, psicólogo e clínico geral. Para conferir as cirurgias realizadas e as enfermidades atendidas pelo médico, confira este link: http://paulowagner.com.br/servicos.

Contato (Call To Action)

Especializado no tratamento de enfermidades que afetem a coluna vertebral, o crânio ou os nervos periféricos, o neurocirurgião Dr. Paulo Wagner Linhares Lima Filho utiliza técnicas modernas, seguras e precisas. Tem alguma dúvida sobre um possível diagnóstico ou gostaria de mais informações sobre os hematomas subdural agudo, crônico e espontâneo? Clique neste link (paulowagner.com.br/pre-agendamento) e agende sua consulta com o especialista. O neurocirurgião fará uma avaliação completa de seu caso, realizando exames físicos, consultando seu histórico clínico e, caso necessário, solicitará exames complementares para tornar o diagnóstico ainda mais preciso.

Compartilhe: